Home

Por Amanda Brandão Lima

Sonhos de ir para os Estados Unidos

Sonhos de ir para os Estados Unidos

Viajar aos Estados Unidos não é uma tarefa tão fácil para os brasileiros, como, por exemplo, a tão sonhada viagem à Disney World se torna muito mais complicada do que imagina quando se visa todas as burocracias que o governo americano obriga os cidadãos sul-americanos passarem. Quando se começa a programar uma viagem para o território norte americano, logo se depara com o pior obstáculo: o visto americano.
Quatro mil é o numero de solicitações de visto para os EUA por dia no país brasileiro. Esse documento é imposto pelo governo dos Estados Unidos para aqueles de qualquer outra nacionalidade e sem restrições de idade, com exceção daqueles que possuem passaporte de países que são isentos do visto. E isso vai muito além, existe também a separação por tipos para classificar os vistos necessários para certas viagens, se você vai fazer um intercâmbio com finalidade acadêmica, por exemplo, deve requisitar o visto de estudante. Essa é mais uma das chatices impostas pelo governo americano aos brasileiros, que penam na hora da entrevista para obter seu visto perante aqueles arrogantes funcionários da embaixada que tornam tudo mais complicado, propositalmente, claro.
Para evitar situações desagradáveis, é importante que as pessoas estejam cientes de quais são as obrigatoriedades no dia da entrevista, já que remarcar a data caso algo saia errado, não é uma das tarefas mais fáceis. Além da taxa consular com o valor de trinta e oito reais que deve ser paga anteriormente, no dia, alguns documentos são exigidos tanto do solicitante, quanto da pessoa que irá custear a viagem – caso seja uma segunda pessoa.

Documentos necessários para o solicitante:

Passaporte atual (e passaporte anterior vencido, se possuir)
Cópia do RG ou certidão do nascimento
Formulários cedidos pelo consulado preenchidos
No caso de estudantes, levar uma Declaração da Escola comprovando a matrícula
No caso de viajar acompanhado, passaporte de algum respectivo acompanhante e também de parentes que mesmo não forem junto, mas possuam visto americano válido

Documentos de quem está custeando a viagem:

Cópia do RG e CPF;
Comprovante de residência: LUZ e TELEFONE (originais);
Extratos bancários dos três últimos meses (Conta corrente/ poupança/ investimentos/ fundos);
Última Declaração de Imposto de Renda Completa com Recibo de Entrega Original;
Registro de Imóveis ou Escrituras Originais (se possuir); Certificado de Registro de Veículo do solicitante ou da família;

Além de toda exigência de documentos, não é tão fácil assim conseguir um dia para marcar sua entrevista. No site, só está aberto dias para aquele mesmo mês em que está, e é raro encontrar os últimos dias do mês em aberto. E também, não são todos os estados brasileiros que têm o consulado, portanto, Larissa Ferraz veio para São Paulo de Santa Catarina para realizar o processo do visto e já passou por isso uma vez, porém, foi negada. “No começo do ano havia agendado minha entrevista, vim para cá e todos me trataram como um animal. Quando a mulher me perguntou os documentos que eu havia levado, percebi que faltava somente a declaração do imposto de renda. Na hora, ela me entregou um papel rosa dizendo que eu não poderia prosseguir e me mandou ir embora voltando só quando o processo fosse regularizado.”. O consulado americano demorou meses para liberar o prosseguir de Larissa, portanto, ela acabou se dando mal de novo – quando liberada, só pôde fazer na mudança dos trâmites do visto, tendo que ficar na cidade paulista por uma semana ao invés de um dia.
Muito exigentes nessa “peneira”, os americanos acabam negando muitos brasileiros que tentam tirar seu primeiro visto, barrando sua entrada e impossibilitando uma nova tentativa por uns meses. Luísa Tibery, 38 anos, tentou retirar o visto para seu filho que iria viajar com seus primos para Disney, por fim, não foi aceita e os americanos barraram a viagem de família. “Levamos todos os documentos e nenhum deles foi pedido na hora da entrevista. Ela fez algumas perguntas como: onde eu trabalhava, o que o pai dele fazia, quantas cabeças de gado tinha, o que ele ia fazer na viagem e quanto tempo ia ficar. Foi tudo muito rápido e de repente ela disse: visto negado! Foi a maior tristeza porque todos os primos conseguiram menos ele. Pedi uma explicação pra ela que foi super grossa apenas respondendo não tinha mais o que dizer, pois o visto foi negado e que ficaria pra próxima.”, relata.

thumb

Processo quase facilitado

No ano de 2012 foi anunciado pelo presidente Barack Obama que a emissão de vistos para brasileiros será simplificada pelos consulados e embaixadas, acelerando em três semanas a autorização para a entrada no país a aqueles que não pretendem imigrar. Algumas pessoas chegam até a serem liberadas da entrevista, aqueles que forem considerados de “baixo risco”, como menores de idade, e também aqueles que já passaram pelo processo anteriormente. Foi uma decisão tomada por conta do lucro que os turistas brasileiros dão ao país, que hoje em dia tem disponibilidade financeira maior e deixam para investir em países estrangeiros, com ênfase nos Estados Unidos.
Porém, desde dia 25 de outubro, por decisão da Justiça Federal, os passaportes não são mais entregues pela DHL como era feito antes, mas agora o serviço é uma exclusividade dos correios. O que antes já era complicado, agora ficou mais ainda e com uma segunda etapa. Para retirar o passaporte após a entrevista, o viajante precisará agendar um dia no consulado para buscá-lo. Agora, o solicitante precisa aguardar um e-mail da CSC (Computer Sciences Corporation), informando que o passaporte está pronto para ser retirado. Depois disso, deve agendar a devolução do documento no site da CSC e a partir de então poderá buscar seu passaporte no centro de atendimento da embaixada americana.
Essa mudança gerou confusão no processo para retirada e muitas reclamações na porta do Consulado, como declarou Geraldo Boris, 43 anos, que estava aguardando há mais de duas horas para recolher o passaporte de sua filha que irá para Orlando em janeiro, “Ninguém me avisou de nada sobre essa mudança, vi em outubro na internet o aviso de que as entregas haviam mudado e mandei um e-mail para agendar minha retirada, mas isso só enrolou o processo, minha filha fez a entrevista em julho e seu passaporte ainda não havia chego.”. A estudante Marcela Santos que vai para Nova Iorque, realizou sua entrevista dia 26 de outubro, mas só conseguiu retirar seu passaporte no dia 14 de novembro, menos de uma semana antes de sua viagem. “Retirar o passaporte deu muita dor de cabeça. Ninguém sabia dar as informações certas, só ficavam pedindo para eu aguardar.”.
De olho no dinheiro do brasileiro, os “gringos” querem deixar a porta da casa aberta para que entrem, porém, acabam sempre dificultando o processo. Mesmo com um grande número de visitantes nos Estados Unidos esse ano, ainda encontra-se muitos desafios para chegar até lá. Agora, com a renda dos brasileiros aumentando, os querem lá fora, e quem barra somos nós.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s