Home

Por Igor Corá e João Barretto Lustri

Moradora do semiárido sertão nordestino, Dona Geralda tem dificuldade para caminhar em função de sua doença, a filariose (popularmente conhecida como elefantíase). Devido à escassez de comida e água, ela andou por mais de seis quilômetros até conseguir encontrar os Amigos do Bem, e perguntou: “É aqui que estão distribuindo comida?”. Histórias como essa são comuns no cenário desértico de abandono em que se encontra o agreste nordestino. Combatendo essa situação miserável e de descaso por parte do governo, a ONG Amigos do Bem se mobiliza para colocar em prática o projeto de construir “Cidades e Vilas do Bem”.

A história dos Amigos do Bem teve início em 1993, quando um grupo de amigos se reuniu e decidiram fazer uma viagem ao nordeste para levar alimentos, roupas e brinquedos. Isso se repetiu durante dez anos consecutivos, até que a situação de miséria e fome despertou a necessidade de fazer algo a mais. No início de 2002, nasceu a entidade Amigos do Bem. Em julho de 2004, iniciaram as obras da primeira Cidade do Bem, em Catimbau-PE. Hoje, a organização conta com outras três; duas em Pernambuco, uma no Ceará e a mais nova em Alagoas.

A idealizadora e presidente de todo o projeto é a paulista Alcione de Albanesi. A empresária contou que sempre esteve engajada no contexto de projetos de assistência social. Antes mesmo da fundação dos Amigos do Bem, dona Guiomar, sua mãe, já assistia mais de 2 mil crianças em diversas creches na cidade de São Paulo. “As mães das crianças da creche me disseram: aqui em são Paulo existe miséria, mas lá no sertão do nordeste existe um abandono total de povoados inteiros que passam fome”. Com essa frase Alcione apresenta o motivo da escolha do Sertão nordestino como público alvo para seus projetos sociais.

“Quando penso nos jovens, consigo enxergar um nordeste diferente” – Foto retirada da internet

 

Cenário do sertão

Antes da chegada dos Amigos do Bem ao Sertão nordestino a condição de vida dos moradores era precária. Não havia energia elétrica para iluminar as comunidades (chamadas de Breu de Baixo e Breu de Cima em função da falta de luz). “É a mesma coisa, a mesma solidão, a mesma escuridão, a mesma faltura. Falta tudo lá” diz Ilzabete Bezerra da Silva, moradora de Catimbau-PE. Para conseguir água era necessário caminhar quilômetros, a falta de alimentos também era um problema constante.

Casas do Bem

As Casas e Vilas do Bem já beneficiaram milhares de sertanejos – Foto: site Amigos do Bem

Com mais de 358 casas de alvenaria (todas mobiliadas e com enxoval completo de cama, mesa e banho), centros educacionais, espaço para missas e cultos, consultórios médicos e odontológicos, parques, praças, saneamento básico, energia elétrica, telefone público, padarias, farmácias, ambulâncias de plantão, hortas comunitárias e centenas de hectares para produção agropecuária as Cidades do Bem vem beneficiando milhares de pessoas do agreste nordestino.

Com a vinda dos voluntários juntamente com o projeto de Alcione tudo mudou. Além de levar suprimentos e roupas, a ONG criou toda uma infraestrutura que disponibiliza empregos aos moradores. Como por exemplo, as indústrias de beneficiamento de caju nos campos irrigados e hortas comunitárias. “A nossa moeda de troca é a transformação. As famílias recebem se estiverem trabalhando, com os filhos na escola e a casa bem cuidada. Quando se tem recursos e fácil abrir estradas e construir casas, o difícil e transformar as pessoas. Esse e nosso grande desafio.”

Governo, política e arrecadação

De acordo com o site oficial dos Amigos do Bem, os alimentos utilizados nas cestas básicas distribuídas nessas cidades e comunidades beneficiadas são doados por três redes de supermercados (Walmart, Carrefour e Extra). Essas cestas básicas são arrecadadas, organizadas e montadas por mais de 5 mil voluntários todo mês. Já os fundos necessários para a construção das cidades e vilas, além do investimento da empresária, são doados por cidadãos comuns e que querem ajudar a ONG e mais do que isso, os beneficiados por ela.

Alcione afirmou não ter vinculo nenhum com o governo e com a política. Disse: “Somos uma instituição que, por muitos anos, trabalhou de forma silenciosa pelo Sertão do nordeste. Nosso trabalho não envolve política.” No evento de inauguração da Cidade do Bem em Catimbau-PE, o prefeito local quis fazer um discurso aproveitando a multidão presente, mas Alcione o proibiu: “Aqui não”. O prefeito permaneceu mudo durante toda cerimônia.

Adaptação e novos projetos

Porém, a adaptação não foi fácil. A maioria dos moradores não conhecia geladeira, fogão, lâmpadas, chuveiro, escova e pasta de dente, não sabiam manusear talheres e tampouco ler. Ivan, morador da Cidade do Bem, afirma que estranhou no inicio ao deparar-se com o chuveiro. “Eu achei difícil para entrar de baixo do chuveiro. Ficava com medo porque molhava muito e a gente não estava acostumado com tanta água”.

Sete anos após a inauguração da primeira Cidade do Bem, Alcione afirma que os Amigos do Bem, ainda este ano, vão inaugurar outros três centros de transformação. Tanto as famílias abrigadas pela ONG, quanto as assistidas (que contam todos os benefícios, exceto a moradia) já se adaptaram muito bem a esse processo de transformação. O médico Luiz Augusto Menegazzo ressalta “Das patologias mais freqüentes 70% estavam ligadas à falta de higiene e saneamento. Constatamos uma queda vertiginosa nos casos de verminose, sarna e diarréia por contaminação da água. A fila no consultório também diminuiu.”. E Alcione não pretende parar. A empresária continuará com tudo isso até o fim, e ressalva: “Se não posso fazer tudo o que devo, devo ao menos fazer tudo o que posso.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s