Home

Por Maria Paula Angelelli

A constante verificação de mensagens no celular,  a angustia da espera por um telefonema, a preocupação com a opinião do outro e o ciúmes são aspectos normais para quem está apaixonado mas, quando a situação passa dos limites, o quadro fica muito mais complexo podendo prejudicar não somente quem o sofre, mas também o parceiro.

Existem dois tipos de ciúmes, o normal e o doentio. No normal, quem o exerce se sente ameaçado por alguma situação ou alguém e apenas quer proteger a relação com a pessoa que ama. Já o doentio, o ciumento tem tanto medo de perder a pessoa amada que faz com que ele pratique ações irracionais, absurdas.

ImagemA diferença entre os dois pode ser muito bem observada. Ataques de ira, comportamento violento, mentiras para esconder o que realmente se passa, desespero, augústia, obsessão no outro e atos irracionais podem muito bem ser sintomas de quem sofre de um ciúme doentio.

No clássico “Otelo – O Mouro de Veneza”, de William Shakespeare, o protagonista da história acredita piamente que foi traído por sua esposa, Desdêmona. Cego de ciúme, ele mata a mulher asfixiando-a. Depois, no entanto, ao descobrir que sua mulher não era adúltera, tira a própria vida com um punhal e antes de morrer ainda beija o corpo dela. Muito famosa essa tragédia shakespeariana que o ciúme patológico também pode ser chamado de ‘síndrome de Otelo’.

Em seu perfil, tanto eles como elas, que sofrem da ‘sindrome de Otelo’ apresentam sinais de alta ansiedade, pouca tolerância à frustração e baixa autoestima. Muito provém de traumas sofridos na infância, como falta de atenção dos pais. Paranoia e transtorno obsessivo compulsivo, também são geralmente associados a esse sentimento.

Homens e mulheres sofrem de ciúmes obsessivo, mas são elas as principais vítimas das agressões. A Pesquisa DataSenado 2011 revelou que em 27% dos casos de violência doméstica registrados no Brasil, esse foi o principal motivo. O quadro não quer dizer que elas sejam menos ciumentas, mas sim que o sentimento se manifesta de formas diferentes.

O lado trágico do ciúmes, quando o sofrimento passa a ser muito grande, pode transformar histórias de amor em casos de agressão e morte.  Mércia Nakashima e Eloá Pimentel possuem em comum a não aceitação do término do namoro por seus antigos companheiros.

O corpo de Mércia foi encontrado em uma represa em Nazaré Paulista, que com as testemunhas, depoimentos e até a confissão do cúmplice, seu ex-namorado, que segundo o cúmplice, achava que ela estava com outro, foi o principal suspeito de sua morte.

Eloá, na época com apenas 15 anos, foi baleada em rede televisiva, após ter sido feita refém por seu antigo companheiro. Ele a manteve por quatro dias em cárcere privado e após nenhum resultado de negociação com a polícia, deu dois tiros na garota, um na cabeça e outro na varilha, provocando sua morte. No julgamento, foi condenado a 98 anos de prisão.

ImagemMas como identificar quem sofre esse tipo de obsessão? O ciumento patológico por vezes não gosta de parentes e amigos de seu parceiro, tenta controlar os horários e até seu modo de vestir, não respeita as vontades e limites da pessoa amada e persegue ou manda outros perseguirem às escondidas para confirmar onde seu parceiro está indo, se não está o traindo. Hábitos como estar sempre a procura do celular para checar mensagens ou e-mails com provas de infidelidade, até mesmo podendo armar situações que chequem a fidelidade do outro também são comuns à eles. Quem sofre da ‘sindrome de Otelo’ encontra dificuldade de agir perante frustações e pode sem esforços realizar atos com violência.

Mas há solução para esse problema. O grupo MADA (Mulheres que Amam Demais Anônimas) tem como objetivo prioritário a recuperação de mulheres da depêndencia de relacionamentos destrutivos, fazendo com que ela retorne ao convívio em paz consigo mesma e com os outros. O grupo começou em 1994 com uma reunião em são Paulo, hoje cresceu e são mais de 45 reuniões semanais espalhadas pelo Brasil inteiro. Nas reuniões as mulheres compartilham histórias, identificam-se com as demais e oferecem compreensão e solidariedade para quem está com esse problema.

O ciúmes obsessivo pode gerar um dano irreparável na vida das pessoas e exige tratamento, pois caso não haja  e a situação saia ou continue fora de controle,  uma história de amor pode terminar em tragédia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s